Maçãs agasalhadas

20140402-235605.jpg

Com este Inverno que voltou atrás como se se tivesse esquecido de alguma coisa em casa, achei por bem levar as maçãs agasalhadas ou não fossem elas ficar constipadas. Errrr… Não. Não é verdade. Fiz estas “camisolas” – ou serão tops? – há cerca de um ano, e tinha-as guardadas à espera de remates e de botões que, por sua vez, também aguardavam impacientes para serem pregados.

E assim já não atiro displicentemente as maçãs para dentro da mala, nem poluo com sacos e saquinhos de plástico! Acho que vou fazer umas para oferecer, o que acham?

Auto-retrato

Auto-retrato

De segunda a sexta dedico-me a um trabalho a tempo inteiro, num escritório lindo no coração de Lisboa, mas muito muito frio. É muito bom não ser vítima de ar condicionado, mas às vezes custa e fico completamente enregelada até aos ossos! Para combater as baixas temperaturas existem alguns aquecedores, e há quem tenha mantinhas, ao estilo esplanada de café cool.

É com alguma frequência que tenho reuniões de trabalho via Skype ou outras plataformas, e como ninguém está a ver às vezes a esferográfica foge para onde possa riscar, e à falta de papel foi mesmo na etiqueta da dita manta. Assim não há que enganar, e fica marcada! ;)

Intercidades

Um dia numa viagem até sul, no Intercidades, vi um senhor com um aspecto muito engraçado e registei-o imediatamente no meu caderno. Ele tinha o rosto quadrado, e daí comecei a brincar e a desenhar caras quadradas. Não, não é para retratar “gente quadrada”, é só mesmo porque achei piada.

Ao arrumar cadernos numa caixa que já está cheia, abri esse tal caderno – que por acaso também é quadrado – e depois do desenho do senhor engraçado seguia-se esta senhora a segurar num bolo e mais umas caras feitas num dia de Verão. Aquelas páginas cheiram a sul, e de repente fiquei com saudades da minha terra. Nesta viagem ía na última carruagem e filmei a linha do combóio a ficar para trás, um dia partilho aqui.

VaniaVargues_L5

<3

20140214-151916.jpg

Hoje encontrei por acaso uma caixinha de glitter em forma de corações dentro da minha mala – já tenho estes corações há mais de 15 anos, e resolvi tirar umas fotografias cliché. Quis o destino também que abrisse uma revista e fortuitamente me deparasse com esta velha expressão. Fiz uma pausa no trabalho e fotografei, com ajuda de uma colega, sem pensar muito. Resultou assim, num cliché, mas apesar disso foi um bom momento de abstracção para depois mergulhar novamente em testes de software e produção de vídeos tutoriais… hoje em russo!

Na Flic Magazine!

Era uma vez um conjunto de cadernos guardados numa caixa preta. É onde guardo os diários-gráficos à medida que os dou por terminados. Um dia recebi uma e-mail “vindo do espaço” com um convite para partilhar algumas páginas desses cadernos. Já conhecia a Flic Magazine, via issuu.com, mas nã conhecia a Ana nem há ninguém que nos ligue (falta confirmar no LinkedIn, mas duvido). Foi portanto um mero acaso, e feliz!

Fotografei algumas páginas e enviei. Não sei qual o critério da escolha, mas das fotos que enviei seleccionaram as páginas desenhadas em Faro. Coincidência? ;)

Aqui estão elas, rabiscadas sem propósito, apenas porque sim e porque gosto de o fazer.

Issue_Flic8_screenshot_p104_v2

Obrigada Mana, João e Edgar pela vossa ajuda.

Flic Magazine: siteissuu

Aprender

Quando era criança pedi à minha mãe para me ensinar crochet. Ela ensinou-me a fazer corrente, e eu fiz. E fiz, e fiz, e fiz corrente. E um novelo de corrente depois cansei-me. E nunca consegui aprender crochet com a a minha mãe porque ela faz muito depressa e é impossível acompanhar o ritmo.

Mais de 20 anos depois, achei que estava na altura de finalmente aprender.  E já que não aprendia com a minha mãe então não havia de ter lições de mais ninguém. Foi então que em 2013 a minha irmã me ofereceu uma linda agulha às bolinhas. E uma bela revista! E um livro com instruções! UAU! :)

Comecei a aprender. Digo “comecei” porque ainda estou a aprender, acho que nunca poderei dizer “aprendi”. Faço, desmancho, volto a fazer. Inúmeras vezes! Não me importo, ganho experiência, e no fim fico satisfeita com o resultado. Eis os meus primeiros mestres:

20140120-225418.jpg

20140120-225439.jpgE tu, com quem aprendes?